domingo, 17 de abril de 2016

O enigma que envolve o sub tom de pele

Quem nunca viu, vive a procurar e quem já viu não consegue identificar…parece um enigma. Um mistério desses que nem Sherlock Holmes poderia solucionar, e no melhor estilo decifra-me ou te devoro temos o sub tom de pele.
Esse tal sub tom é aquele que tira o sono de muitos micropigmentadores na hora de escolher o pigmento certo para a sua cliente, pois em geral os professores se gabam de identificar cores muitas das vezes inexistentes e ate incoerentes. São verdes, azuis, vermelhos e violáceos sem fim. E ainda afirmam por aí que o sub tom define o resultado de uma micropigmentação. Horas como pode então ter tanta sobrancelha azul em peles quentes?
Este texto que escrevo não é para ir contra nenhum professor ou escola ou ainda quem quer que se sinta prejudicado, mas espero que sirva de alerta aos profissionais em geral para que possamos pensar um pouco mais com lucidez e calma sobre um assunto que deveria ser desmistificado desde o início lá no curso básico…
O que dá cor a nossa pele? Todos vamos responder a melanina é lógico!
Mas será mesmo que somente a melanina é capaz de dar cor a nossa pele, somente ela pode definir a cor que vemos e ainda existe a tal reação entre melanina e o pigmento exógeno que nós implantamos com a Micropigmentação? Existe alguma reação química entre a melanina e o pigmento?

Vejamos agora que a cor da pele é um resultado multi fatorial, e sim a cor, ela é fornecida pela melanina o que nos garante a separação e classificação na escala de Fitzpatrick, onde as peles mais claras são chamadas de fototipos baixos e as mais escuras de fototipos altos. Essa escala ordinariamente ia de I a V e hoje temos de I a VI sendo o I a pele mais clara e VI a mais escura que conhecemos. Bom, mas até agora estamos falando da cor visível em nossa pele, a cor óbvia, que nos separa inclusive por raças, a mais aparente, quando na verdade esse tal de sub tom o nome já nos diz, sub ou seja por baixo, ele na verdade estaria oculto como um reflexo que ajudasse a definir no nosso caso a temperatura da nossa cor, se quente ou fria.
Eu não discordo da presença deste sub tom, mas discordo completamente que ele seja fator primordial para o sucesso de nosso trabalho! Acompanhe comigo:
A coloração de uma pele normal é definida pela quantidade e qualidade de Melanina presente na pele, porém a cor revelada aos nossos olhos será um efeito óptico da Física da luz. Teremos como fatores normais a dispersão da luz nas diferentes camadas da pele, pequenas alterações vasculares e deposito de alguns pigmentos como os carotenos. Aí já observamos que essa cor até então era oferecida apenas pela Melanina começa a sofrer interferências consideradas até normais, mas não menos capazes de interferir.
O chamado sub tom de pele, este se torna mais complexo e cada vez menos confiável, a medida que não conseguimos defini-lo com clareza e ainda este sub tom, ele sofrerá uma infinidade de interferências que tornará impossível uma aferição exata de sua cor reflexa. E mesmo que possamos visualizar essa cor do reflexo, não há garantia ALGUMA de que seja uma cor permanente, podendo ser um estado transitório e que aliado a melanina em nada poderia interferir no caso de fototipos baixos, devido a quantidade pequena dessa melanina presente.




Em estados patológicos por exemplo observaremos alguns reflexos que nos levarão ao erro fácil, por exemplo stress pode oferecer lividez ou vermelhidão a pele, distúrbios hematológicos, doenças hepáticas revelam um reflexo de cor esverdeado e nos levara a classificar uma pessoa como tendo a pele fria e a Hipertensão pode nos fazer acreditar em peles quentes. Doenças respiratórias crônicas vão revelar reflexos azulados ou violáceos, patologias dermatológicas vão interferir em nosso julgamento e tantas outras…ficaria aqui por horas relacionando inúmeras patologias que vão alterar nosso julgamento e não são lembradas por aqueles que defendem o sub tom de pele. Aí temos a história de querer ver aréolas mamárias, gengivas e apertões no braço que nos levam a mais erros que acertos, pois pense se a sua cliente morre de vergonha da flacidez dos seios ou não depilou a aréola e é obrigada a mostrar isso…morro de vergonha disso. Imagine que a fumante terá a cor das gengivas alterada, a mulher que já amamentou pode ter hiperpigmentado as aréolas. Vamos pensar mais um pouco? Como aconteceria a mistura da cor deste sub tom que não conseguimos classificar com a cor do pigmento que não conseguimos determinar? Frio e quente nessa hora são tudo ou nada. Investir em um curso faz toda diferença nessa hora, estudar, perguntar ao professor questionar e buscar cada vez mais vai garantir um melhor resultado e não uma fórmula mágica, não uma invenção sem fundamentação científica.
Não há a interação química entre pigmento e melanina e ainda em cada camada da pele teremos um depósito de pigmentos endógenos e exógenos. Vejamos que dentre os endógenos citamos por exemplo na Epiderme a própria Melanina, na Derme os capilares subpapilares e mais profundamente vasos de maior calibre, Oxi- hemoglobina e etc.…Ja com relação aos pigmentos implantados teremos a composição de cada cor, e a profundidade e saturação inerentes a cada técnica ou falta de técnica.
Observem que esta pele é considerada quente e por isso jamais poderia ficar com as sobrancelhas frias: Este é um dentre milhares de exemplos afirmando que esta teoria não funciona como falado. Fototipos mais altos a melanina pode na condição de cor circundante afetar nosso julgamento e parecer interferir mais ainda assim não ha reação química.
foto internet

Vamos pensar da próxima vez em escolher melhor as cores, vamos pensar sobre aceitar ou não este sub tom? Vamos pensar em nos libertarmos de vez de tanto empirismo? Fazendo uma pequena propaganda aqui, estamos lançando uma série de 3 volumes Micropigmentação sem mistérios, onde no primeiro volume abordamos a Colorimetria básica, mas já iniciamos a desmistificar o sub tom de pele e nos outros avançamos na Colorimetria e Pigmentologia.
Fique ligado aqui no Canal Negócio Estética, não deixe de comentar aqui, que nas próximas edições vamos desenrolar mais um pouco sobre este assunto que tem muito o que ser dito!

Referências 
Alchorne MMA, Abreu MAMM. Dermatologia na pele negra. An. Bras. Dermatol. 2008; 83(1):7-20.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J. Histologia Basica. 9.
ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

Stamatas GN, Kollias N. Blood stasis contributions to the perception of skin pigmentation. J Biomed Opt. 2004 9(2):315-22.
Zonios G, Bykowski J, Kollias N. Skin Melanin, Hemoglobin, and Light Scattering Properties can be Quantitatively Assessed In Vivo Using Diffuse Reflectance Spectroscopy. J Invest Dermatol 2001 117, 1452-1457

sexta-feira, 8 de abril de 2016

CRONOGRAMA DE CURSOS 

INSTITUTO LÉO CALHEIROS E SIDNEY DUARTE









Disponibilizamos aqui a grade de cursos do professor Léo Calheiros e Professor Sidney Duarte, você poderá verificar as datas e localidade do curso de seu interesse, caso queira receber mais informações, nos informe o curso de interesse que enviamos para você.

Você poderá ter mais informações em nosso E-mail ou em nossos contatos:


E-mail: profleocalheiros@gmail.com


Tels.: +55 (21) 3979-0098 / 3899-7755 e 9 9919-3624 WPP

Instituto Léo Calheiros & Sidney Duarte


End.: Avenida Nossa Senhora de Copacabana, nº 680 
Sobreloja 204 – Copacabana – Rio de Janeiro – CEP.: 22020-001
Tels.: +55 (21) 3979-0098 / 3899-7755 e 9 9919-3624 WPP


quinta-feira, 7 de abril de 2016

Congresso de Micropigmentação em São Paulo

Estética in São Paulo!

Mais uma vez foi um grande sucesso, o Congresso realizado pelo Estética in São Paulo em Março de 2016. Um grande honra participar do Comitê Científico do mesmo. Um final de semana maravilhoso entre amigos. Muito conhecimento com palestrantes nacionais e internacionais que realmente puderam acrescentar muito a vida profissional dos congressistas! 

Selfie de cima do palco logo na abertura do evento...quase mil profissionais em uma só energia!

Entrada do Comitê



Hino Nacional


Meu momento de tirar foto no painel!


 Sidney Duarte & Léo Calheiros

Alejandro Ciarlo com Léo Calheiros

apresentação de casos no talk show


O grande público - Profissionais que sabem o que querem! Profissionais que fazem a diferença!

Talk show

Sidney Duarte fala sobre Cosmetologia na Micropigmentação



Linda homenagem que recebi do Sidney e nosso agradecimento ao Estética In São Paulo pelo lançamento do nosso primeiro Livro!


Sidney Duarte


Amigo James Olaya



A dupla dinâmica Vânia Machado e Eliana Giaretta
Foi tudo maravilhoso!


Se voce não pode ir, não fique triste, ano que vem tem mais, agora não perca o Congresso no 
Rio de Janeiro com inúmeros palestrantes, muito conhecimento e a certeza de fazer diferença em nossa profissão!

Não perca o Estética in Rio em Maio de 2016!!!





quinta-feira, 31 de março de 2016

CURSO DE COLORIMETRIA COM O PROFESSOR LÉO CALHEIROS NO RIO DE JANEIRO - 18 & 19 DE ABRIL




CURSO DE COLORIMETRIA COM PROFESSOR LÉO CALHEIROS

 NO RIO DE JANEIRO




Acabe com suas dúvidas em Colorimetria!!!!

Mude sua vida profissional!!!


Liberte-se dos paradigmas que a Colorimetria na Micropigmentação traz!!!


Tenha seu diferencial no mercado!!!


Aprenda Colorimetria com o Professor Léo Calheiros!!!



- Método de Inovação do Mercado
- Aprenda a Neutralização de Cores Indesejadas
- Bases de Pigmentos


Faça sua inscrição nos telefones abaixo:



Instituto Léo Calheiros & Sidney Duarte

End.: Avenida Nossa Senhora de Copacabana, nº 680 – Sobreloja 204
Copacabana – Rio de Janeiro – CEP.: 22020-001
Tels.: +55 (21) 3979-0098 / 3899-7755 e 9 9919-3624 WPP
E-mail: profleocalheiros@gmail.com


quinta-feira, 10 de março de 2016

LIVRO: MICROPIGMENTAÇÃO SEM MISTÉRIOS, VOL. I


Garanta seu exemplar aqui

Micropigmentação sem Mistérios Vol. I

          O primeiro Volume de uma série de trés livros que chegam para auxiliar aos profissionais de Micropigmentação. Informações úteis com bases Acadêmicas de nível superior para trazer mais conhecimento ao nosso meio. Neste Volume temos as informações sobre Colorimetria básica com Sidney Duarte e Léo Calheiros, Direito do Consumidor por Monique Portella, Cicatrização e reparação por Andreon Machado, Remoção a LASER Dr Andre Borring e Eliana Giaretta, Desenho de fios por Débora Machado, e um capitulo sobre preguntas e respostas onde o Prof. Léo Calheiros responde e dá dicas sobre a Micropigmentação. Tudo isso e muito mais! 

Garanta já o seu! 


Com muito carinho dedicamos esta obra a nossos Pais, por nos fazerem acreditar em nossos sonhos!


Apenas R$ 122,50




sábado, 27 de fevereiro de 2016

CRONOGRAMA DE CURSOS - INSTITUTO LÉO CALHEIROS



Mais informações:

Instituto Léo Calheiros & Sidney Duarte
End.: Avenida Nossa Senhora de Copacabana, nº 680
Sobreloja 204 – Copacabana – Rio de Janeiro
Tels.: +55 (21) 3979-0098 / 3899-7755 e 9 9919-3624 WPP
E-mail:profleocalheiros@gmail.com

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Colorimetria



Uma conversa bem legal sobre Colorimetria!




Professores de Micropigmentação em um papo descontraído sobre as cores na profissão!



segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

O caminho contrário! Remoção de pigmentos!

Tem me chamado muito a atenção nos grupos do Face que cada vez mais os procedimentos de despigmentação estão com as informações muito desencontradas e até com informações erradas mesmo. 

E com isso resolvi escrever este post não para dizer o que é verdade ou mentira ou para dizer que tal procedimento é certo ou errado, mas para juntos buscarmos os melhores parâmetros para chegarmos a um entendimento mais seguro e claro mais científico. 

Em primeiro lugar deve ficar bem claro que  a despigmentação deve ser a última manobra a ser cogitada. Sim, pois uma despigmentação é um procedimento lento, doloroso que expõe a pele da cliente a infecções sérias, possibilidade de cicatrizes e nem sempre é tão necessária assim. Quando conhecemos o nosso trabalho e seus recursos nos damos conta de que existem inúmeros recursos melhores e mais seguros.

Por exemplo quando temos sobrancelhas com cores claras, mas com desenho inadequado, eu poderia sugerir que fosse feito o novo desenho com a Micropigmentação aproveitando o máximo do desenho antigo e só despigmentar o que ficaria de fora deste novo designer. Claro que neste caso se a as sobrancelhas apresentassem uma cor inadequada também seria possível recorrer a neutralização.

Quando temos as sobrancelhas mais escuras, eu seguiria o mesmo pensamento até clarear a porção delimitada pelo novo desenho, porém só faria a Micropigmentação deste novo desenho após o real clareamento da parte que foi deixada de fora do projeto de Micropigmentação. A camuflagem pode ser um tiro no pé e deve ser bem estudada antes de ser aplicada.

Quando temos um trabalho com desenho grosseiro eu prefiro despigmentar o suficiente para tornar este desenho mais delicado. Se a cor está inadequada eu avalio esta cor e decido qual a melhor técnica para realizar a despigmentação. Sobrancelhas vermelhas requerem conhecimento de Colorimetria Avançada e definir se há no local restos de pigmento ou se trata apenas de uma cicatriz crômica. Se o problema for esta cicatriz não adianta recorrer a despigmentação pois cada vez ficará mais vermelho o resultado.

Se a vontade da cliente for ter sobrancelhas feitas com fios, também avalio a cor e a saturação pois sabemos que quanto maior a saturação mais reflexos frios serão observados. Da mesma forma no caso de profundidade, no entanto é mais complexo avaliar profundidade. Muitas vezes uma neutralização nos dá uma base bonita e perfeita para desenvolver ali um trabalho mais realista sem aqueles fios paralelos que embora sejam supersimétricos não possuem nada de artístico ou de realista. 
Principalmente se a cor estiver clara, conseguimos um efeito esfumado e por cima após a recuperação o trabalho em fios ficará até muito mais bonito e natural, mas se o desenho não estiver bom, a despigmentação mais uma vez poderia ser somente na parte que está prejudicando o projeto.
O que acontece é que o profissional não está se preocupando com a cliente, com a pele e com resultados...ele so quer uma pele livre e nova para fazer o que ele quer. E acaba despigmentando tudo, deixando a pele da cliente sensibilizada e muitas vezes com alterações morfológicas importantes como cicatrizes e manchas... E não deveria ser assim!!! 

Tudo é motivo para despigmentar, tudo mesmo até sobrancelhas que estão bonitas e que pequenos ajustes dariam excelentes resultados. Mas submeter a cliente a dor parece algum castigo por não ter escolhido melhor o profissional...não sei.
Usar o laser é muito bom mas exige cautela e nem todos os casos são tão felizes também, cada caso deve ser discutido com a cliente e prós e contras apresentados e muito bem explicados.  
Tecnicamente falando, tenho visto muita gente mostrando algodão sujo de sangue e ácido ou oxidante nos vídeos e fotos, e isso faz com que o sangue fique com uma cor castanha um pouco amarronzado e alguns profissionais acham que isso seja pigmento saindo. Cuidado, isso não é pigmento saindo e nem significa que está saindo tanto pigmento assim é uma reação do sangue aos produtos mais usados na despigmentação química.

Outra coisa importante a ser dita e sobre a manipulação de ácidos com porcentagens absurdas e sem nenhuma noção do valor de ph. O uso de produtos importados sem reconhecimento na ANVISA também é criminoso.

Vejo tudo isso com muita preocupação pois temos profissionais que caem incautos em falsas promessas de cursos e clientes atendidas por estes profissionais que acreditam estar no caminho certo! Por isso minha maior preocupação ao manter o grupo no Facebook Micropigmentação sem Mistérios é justamente ajudar levando mais conhecimento amplo e geral não só sobre técnicas, mas sobre assuntos pertinentes como Anatomia, Fisiologia, Química...e outros sem no entanto ficar também chato pois nenhum de nós precisa se formar em Medicina para atender com responsabilidade porém precisa sim saber mais do que outros profissionais de beleza pois em nossa profissão nós trabalhamos na pele e todas as reações são sistêmicas ou seja ao fazer a Micropigmentação das sobrancelhas nós mobilizamos todo o corpo nos processos de cicatrização e inflamação por exemplo.

Por isso antes de decidir expor sua cliente ao processo de Despigmentação, seja qual for a técnica eleita, pense em todas as possibilidades antes e converse abertamente mostrando prós e contras com total verdade. Deixe que ela participe na decisão pois ela pode não estar disposta a esperar resultados lentos e seguros.

Bora estudar galera! 


Prof Leo Calheiros e Prof Sidney Duarte



quinta-feira, 24 de setembro de 2015

EVENTOS 2015 - ATUALIZADO



Queridos amigos de profissão, estou disponibilizando para vocês aqui todos meus horários, para que consigamos organizar nossos encontros com antecedência, espero que estejamos juntos sempre.
Priorizamos o conhecimento em todos os eventos e cursos. Vocês terão mais informações em nossos contatos.

Tels.: (21) 3979-0098 / 3899-7755 / 3689-3624 / 9 9919-3624 TIM WPP

E-mail: profleocalheiros@gmail.com